O surreal natural e espiritual

Passando por Brasília umas vezes tive o honra de conhecer o escritor Alessandro Mendonça e sua maravilhosa família. Nesta experiência de couchsurfing me senti como sim outra vez fora de intercâmbio e eu a filha adoptiva de esse núcleo de amor. Quando cheguei Alessandro me falou que tinha dois tipos de personas que passavam por Brasília: os interessados de arquitetura com vontade de conhecer o urbanismo de Lucio Costa e as construções de Oscar Niemeyer o os ecoturistas direitos a Chapada dos Veadeiros. Eu era então um hóspede bastante anômala, enquanto tinhia viajado até o interior do Brasil para morar com uma monga para aprender meditação e trabalhar com agricultura biológica no cerrado!

Igualmente, percebi que si isso era o que todos faziam no este canto do mundo, tenía que ser legal e eu tênia que conhecer também. Depois do um café da manhã alternativo que Alessandro e seus companheiros espirituais chamam “café com fé”, meu novo grupo de amigos me trouxe de volta pôr o plano piloto a admirar a insólita arquitetura. Niemeyer, com seu estilo comunista e futurista o mesmo tempo, parece ter desenhado a cidade para uma época ainda no existente onde os humanos vivem em harmonia juntos com os extraterrestres.

Mais segundo Alessandro no seu intrigante libro Missi Dominici, já fez tempo que os anjos moram com a gente…

 Uma carona muito bacana me levou até Alto Paraiso de Goias para ir trilhando por cachoeiras e cascadas no meio do cerrado.  Achei uma natureza incrível, de savana infinita, pedras de outros planetas, vales desenhados por a agua deixando formas sensualmente petrificantes! Ficando no relaxado povoado do São Jorge, andai cedo (só deixam entrar até meio-dia) pôr o parque nacional (único de acesso livre), em expedições para achar os espetáculos naturais.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *